segunda-feira, 9 de julho de 2018

Resenha "Jubiabá" #lendojorgeamadoliterall

Boa tarde, pessoal! Como estão ? 

Vamos falar um pouco sobre Jubiabá? 
Nesse quarto livro publicado por Jorge Amado, em 1934, encontramos um romance de formação e ainda uma espécie de teste para o escritor baiano. 

Embora o título seja "Jubiabá" que é um dos personagem do livro, vamos acompanhar o desenvolvimento e as tramas da vida de Antônio Balduíno, um negro carismático que em cada fase da sua vida, se encontrará em algumas aventuras divertidas. 
Sem a presença dos pais, o garoto é criado pela tia que, já velha, endoidece e acaba falecendo, nem a ajuda do incrível macumbeiro Jubiabá a consegue salvar. 
O garoto então é submetido aos cuidados de um comendador rico, que o cria com muitos cuidados e dedicação. Na casa desse comendador, Balduíno conhece a meiga Lindinalva, por quem se apaixona rapidamente e mantém um extremo respeito, um amor platônico.
Embora estivesse vivendo em boas condições, Amélia, a criada do comendador, era uma branca de origem italiana , odiava negros, tornou a vida do pequeno em um pavor. Tamanho foi essa paúra que induziu Balduíno a fugir da casa do comendador e fosse viver sua vida na rua. 
Já sem teto, Balduíno tenta a vida na "mendigagem", onde encontra vários garotos, cada um mais peculiar que o outro para lutarem pela vida. 
Acredito que Jorge Amado gostou tanto de descrever a vida daqueles garotos de rua com suas particularidades que acabou, dois livros posteriores a esse, a escrever Capitães da Areia, o livro dedicado especialmente aos garotos de rua, mas vamos deixar essa questão mais para frente, quando formos discutir esse livro impecável! 
Baldo torna-se lutador de boxe, trabalha em um circo , canta sambas e ABCs, trabalhador e tudo mais. Ama diversas mulheres, tem seus encontros e desencontros. 
Uma perda notável faz com que ele entre em uma leve depressão, não vê mais sentido na vida, apenas uma causa o faz reviver, o desejo de se juntar aos trabalhadores numa greve, greve essa que buscava melhores salários e melhores condições de trabalhos, uma vez que os trabalhadores se viam em condições próximas da escravidão. 
Indico demais esse livro, não contarei mais das aventuras de Baldo para não oferecer spoilers para vocês. Porém alguns pontos acho interessante ressaltar:
* embora Antônio Balduíno fosse um personagem interessante e divertido, o machismo presente em suas atitudes são marcantes, não só nele, mas em todos homens naquela sociedade baiana. 
* A presença de várias citações de personagens marcantes da história brasileira, como: Lampião; Zumbi dos Palmares; Antônio Conselheiro, entre outros. 
* A questão do ABC, que seria uma espécie de biografia de pessoas com histórias importantes é muito bem ressaltado, em todos os momentos, Balduíno deseja ser uma pessoa famosa para ter seu próprio e notável ABC.
* Esse planto do ABC encontraremos no ABC de Castro Alves, onde Jorge Amado fará uma biografia do poeta da terceira geração romântica. 
* Modo Jorge Amado de escrever: parágrafos extremamente longos e carregados de informações.

Embora eu encontrei diversos infortúnios para ler esse livro( edição ruim, provas, trabalhos e eventos ), eu curti a leitura. 
Para finalizar, temos um breve trecho sensacional do ABC de Antônio Balduíno: 

"Este é o ABC de Antônio Balduíno 
Negro valente e brigão 
Desordeiro sem pureza 
mas bom de coração. 
Conquistador de natureza 
furtou mulata bonita
Brigou com muito patrão 
morreu de morte matada
mas ferido a traição. "
(AMADO, Jorge, 1934, p.249. )


***
Fotos do livro jubiabá pelos participantes do projeto:




O que acharam dessa experiência? vou adorar saber suas impressões por esse livro divertido que é Jubiabá!

Links: 
Compre com o meu link os livros do Jorge (ou qualquer um na loja da Amazon)! Assim você estará ajudando na manutenção do meu blog!  https://amzn.to/2NCnXva


domingo, 10 de junho de 2018

Resenha: Suor - Jorge Amado #lendojorgeamadoliterall

  Boa noite, galera! Como estão? 
 Depois de um tempinho ausente, e peço desculpas pelo atraso, continuamos nosso projeto firmes e fortes! Hoje trago, então, a resenha do terceiro livro publicado por Jorge Amado (1934), "Suor".
 Suor que também faz parte dos livros socialistas e popularmente conhecidos como "panfletários", também acabou sendo queimado pelo governo de Getúlio Vargas. 

 Nesse livro, ambientado no pelourinho na Bahia, encontramos um casarão antigo que se transformou em um cortiço habitado por vários moradores em situações de pobreza e miséria. O interessante nesse ponto é a presença de diversas pessoas de distintas origens, temos um judeu, espanhóis, cearenses e outros mais. 
 Esses moradores se encontram em estados de extrema pobreza, como já disse, dividem espaço com ratos, baratas e até uma cobra. Lemos esse livro conseguindo sentir essa calamidade, cheiros podres, urinas e marginalização. 
  Acho que vocês já leram algo parecido, não é mesmo? Jorge Amado consegue, assim como Aluísio de Azevedo, transparecer em sua escrita um tom escatológico. 
  O que difere "Suor" ao "O Cortiço" é que com jorge Amado, encontramos uma linguagem mais coloquial, completamente próxima da musicalidade falada dos moradores do 68. Não que Aluísio não demonstrasse isso em seu cânone, porém encontrei isso melhor exposto com Jorge Amado. 
  Outro aspecto interessante é a narração dinâmica em que encontramos em "Suor", diferentemente dos primeiros livros anteriores, aqui encontramos um maior número de personagens e um foco narrativo não apenas em um personagem, mas sim nesse "ciclo" envolvendo personagens diferentes. Por essa razão, reflito que o personagem principal é o próprio cortiço!
  Prostitutas, operários, lavadeiras, costureiras, mendigos, desempregados e anarquistas constroem o cenário desse envolvente livro que retrata o cotidiano de pobreza, sujeira  e libertinagem da vida urbana. Construídos pelo suor de cada um (a vida difícil que cada um leva consigo), temos um caráter de opressão e a exploração. O final, e agora concreto nas palavras de Jorge, e a revolução. (Encontramos alguns personagens com essa inspiração).
  O divertido, não sei se é a palavra correta para usar, de ler esse livro é conviver as dificuldades junto com esses personagens singulares, a luta por uma vida melhor, seja ela da maneira mais suja possível. 
Alguns pontos são importantes de se notarem, como a sociedade machista, a opressão (disfarçada pelo capitalismo), e o estivo de vida dos personagens, como uma espécie de categorização.
"Homem para ser homem precisa beber cachaça, dormir na cadeia e ter gonorreia" AMADO, 1934, p.52
 Em vários momentos encontramos ideias de descontentamento dos moradores, que sempre conversavam sobre revoluções, tinham grande influência (além de saberem) da Revolução Russa. 
  Uma passagem me marou bastante, e é com ela que eu gostaria de concluir essa resenha, encontramos uma passagem em que uma moradora negra, com outro negro, o Henrique estão conversando, temos o seguinte diálogo:
"-Você sabe qual é a coisa mais maravilhosa do mundo?
[...] - Não sabe qual é? É o cavalo. Se não fosse o cavalo, branco montava em negro..."AMADO, 1934, p.44
  Essa abora, acima de tudo, é de extrema importância para o modernismo brasileiro, pois com ela conseguimos um grande feito em que os escritores modernistas sempre tinham e pauta e buscavam encontrar: o social brasileiro. (Neste caso, a triste realidade dos marginalizados do Brasil, a grande maioria da população da época). 
  Enfim pessoal, gostei bastante da leitura, eu confesso que esperava mais, queria ler algo mais parecido com o cortiço do Aluísio de Azevedo, com muito barraco e tramas mais concretas, porém Jorge Amado conseguiu criar um livro bom e memorável. Recomento! 
  E vocês, quem já leu "Suor"? Deixe nos comentários o que acharam dessa aventura! 
  Foto das leitoras que acompanham o projeto e usaram a #lendojorgeamadoliterall



***
Links: 
Compre com o meu link os livros do Jorge (ou qualquer um na loja da Amazon)! Assim você estará ajudando na manutenção do meu blog!  https://amzn.to/2sLL3Hf






sexta-feira, 6 de abril de 2018

Lancei meu segundo conto!

   Depois de três meses de atraso, vim contar para vocês que publiquei meu segundo conto!! 
   Ano passado publiquei pela editora Fonte de Papel, meu primeiro conto "Desvaneios de Luíza em terras sem lençóis" na antologia "Amavios & Obscuridade", gostei bastante da experiência. Com isso, propus uma meta de ter pelo menos um lançamento por ano. 
   Nesse ano já vou lançar meu artigo que fiz na faculdade (acredito que em Maio) o que me deixa muito feliz! Além de já bater minha meta desse "projeto". Contudo, no começo do ano, vi um edital de uma antologia de "(re)contos" de fadas organizado pela editora Hope e, logo de cara, fiquei encantado com a antologia. Escrevi um conto e fui aprovado! 
   Semana passada teve o lançamento da antologia em São Paulo, com os autores que participaram. Não pude ir, mas fiquei feliz com o sucesso dessa organização. 
     
   Meu conto presente na antologia, "Clarice e seus sete anões", acompanhamos a jovem Clarice numa viagem para a cidade de sua avó, que celebrava seu aniversário, até Clarice e sua família sofrerem um terrível acidente. 
   Venham se aventurar com a forte Clarice em um mundo encantado! 
   A história da Branca de Neve vocês devem conhecer, desde minha infância, esse conto mágico era um dos meus favoritos, só perde pros três porquinhos, porque quem supera aquilo, Senhor?! rsrs
   Aliás, queria fazer um reconto dos três porquinhos, mas acabou que não seguiria a proposta da antologia, então resolvi não inscrever o conto para a seleção. (Quem sabe mais pra frente eu o publico).
   O livro "Erra outra vez", que contém meu conto, está lindíssimo, possui vários contos sensacionais com diversas estórias encantadoras!
   Ele esta sendo vendido pelo site da editora por R$30,00. Vou deixar o link no final do post para comprarem. Se quiserem comprar, podem comprar direto pelo site (compras acima de R$100,00 o frete é grátis!) ou podem comprar comigo. Darei marcadores da antologia e um autógrafo caso alguém compre, apenas entrem em contato comigo =)
   Espero que gostem dessa minha novidade, fiquei bem feliz de publicar mais um conto.
   Esse ano ainda espero publicar meu artigo, planejo terminar meu primeiro romance, e quero, também, organizar todos os meus contos numa coletânea só minha, até o final do ano ela sai. Quero muito reuni-los, pois será meus contos escrito até os vinte anos, quem sabe no futuro eu venha a ver minha coletânea e me divirta com o que escrevi! rsrs 
  Bem, esse post era mais um "informe" dos meus projetos e contar essa novidade a vocês. =)


Onde comprar o livro: https://www.editorahope.com/product-page/antologia-era-outra-vez